Inspirar-Poesia, um segundo sopro

biografia de tantos nadas

Por Sueli Maia (Mai) em 8/19/2010
.



Nem sempre nos damos conta, mas nem tudo nesse mundo é o que aparenta ser, nem tudo é o que se quer. Assim é que o rochedo maciço lá do alto, se transforma simplesmente em uma imagem, e na água escura do lago, ele pode ser tocado, sentido e no toque das mãos recolhido, para depois escorrer pelos dedos, gotejar no chão e sumir na terra. A gente perde muitas coisas vida afora, é fato, mas ganhamos outras tantas ao longo do viver. Pequenas coisas, assim como gestos singulares, podem colorir a mesmice cotidiana. Na solidão plural, os dias se fazem diferentes com um simples bom dia, um abraço, um sorriso ou um e-mail singelo. Pequenos nadas que podem ser o bastante para fazer um dia ser diferente. Ontem foi uma noite muito fria, a noite mais fria de toda a minha vida e eu tenho 52 anos. Por instantes eu pensei que não conseguiria me controlar, me aquecer... E lembrei dos tantos que estão sem abrigo e por fim, me encolhi, tremi calada até dormir. Hoje o meu coração se aqueceu com um desses gestos. O poema "Balada de tantos nadas incontidos", escrito pelo poeta José de Assis Freitas, um tudo que pode ser lido em:ww.mileumpoemas.blogspot.com/2010/08/311-balada-de-tantos-nadas-incontidos.html.

Obrigada, Assis, guardarei para sempre


Fotografia: SMaia
1 Lago Nova Friburgo Country Clube
2 Leito do rio Lumiar
.

24 comentários:

Marilu disse... @ 19 de agosto de 2010 12:34

Minha querida amiga, as vezes não nos damos conta de tanto que temos...um cobertor para nos aquecer, um prato de comida quando temos fome, uma palavra de amor quando choramos...coisas tão pequenas que passam despercebidas, mas que são tão importantes...Beijocas

guru martins disse... @ 19 de agosto de 2010 13:43

...a vida
não é só isso
que se vê
sempre tem um
pouco mais...

bj

Ribeiro Pedreira disse... @ 19 de agosto de 2010 14:46

uma gota de poesia revela um mar de sentir o abraço.

Assis Freitas disse... @ 19 de agosto de 2010 15:33

eu que agradeço sempre por tuas gentilezas, carinho e palavras, pessoas como vc são raras,


cheiro

Eurico disse... @ 19 de agosto de 2010 16:02

Fui lá e li o teu poema e a leitura que dele fez o Assis.
Duas preciosidades.

Parabéns!

Abraçamigo e fraterno.

ney disse... @ 19 de agosto de 2010 16:10

Mai,
Bom dia, um abraço, um sorriso... Parabéns para você e seu amigo, Assis, pelo poema e pela canção, e por essa bela postagem que nos tráz um dia diferente, mais humano e solidário. Abraço/ney.

reltih disse... @ 19 de agosto de 2010 16:45

un gusto pasar por tu espacio.
un abrazo

Mateus Araujo disse... @ 19 de agosto de 2010 18:21

Morrí D:
lindísssimosss
eu fui ao blog dele..
poemas fenomenais!
Oun Mai *_*
E essas músicas aqui?
Gente!
Perfeitas
não tinha ouvido ainda essa "correio"
Nuss, que som de Brasil!!!
E na verdade ñ tinha ouvido nem a outra HHUUAHUSHUASHUA
amei mew
muito bom vir aqui
*_*

bjsbjs

Paula Barros disse... @ 19 de agosto de 2010 19:18

Mai,

Você é uma pessoa que realmente sabe valorizar momentos, e atos singelos, e você sabe nos proporcionar momentos assim.

Lindas fotos. A primeira, lembro do lugar belíssimo, e você me dando a dica para fotografar. Saudade!

beijo

Andrea de Godoy Neto disse... @ 19 de agosto de 2010 20:35

Mai, a homenagem do assis é linda e merecidíssima. Ele é mestre em por em palavras o que às vezes mal conseguimos balbuciar. E tuas palavras são mesmo inspiradoras, vento soprando, águas profundas...

beijos

tossan disse... @ 19 de agosto de 2010 21:43

A vida é tão simples quando o mundo gira a nosso favor, somos e giramos na contramão. Devemos isso a nós mesmos e aqueles que não conseguem enxergar ou andar.
Você voltou com um texto magnífico outra vez. Beijo moça

Gerana Damulakis disse... @ 19 de agosto de 2010 23:42

"Colorir a mesmice do cotidiano" é importante; enfim, é valorizar a vida.
Emocionante a postagem de Assis.

Lara Amaral disse... @ 20 de agosto de 2010 00:42

Um poema mais que merecido, amiga!

Também vivo de tantos pequenos gestos, eles me fazem crescer muito. E ganhar poesia, para mim, é um dos maiores presentes, abro sorriso de orelha a orelha. Assim como ver pessoas queridas sendo homenageadas. Adorei ler o poema a vc lá no Assis. Êta baiano porreta aquele, quando resolve escrever para os amigos, derrete todos, cada verso mais lindo.

Beijos.

Troll disse... @ 20 de agosto de 2010 08:30

OK, posso começar elogiando as fotos? Pq são ótimas e me deram uma vontade louca de serra, que vc nem entende.

Em outro aspecto, adorei o trecho em que vc dá a atenção aos detalhes, às pequenas coisas, às felicidades menores, mas que cada um de nós pode cultivar.

E em um comentário extremamente pessoal, eu me perco loucamente em noites frias. Não vejo coisa melhor do que o aconchego de uma delas, caríssima.

Saudade de ti.

Mirze Souza disse... @ 20 de agosto de 2010 08:56

Mai querida!

Assis sabe como um mestre fazer o bom uso das palavras. No caso, em sua homenagem, até eu me emocionei, por ser tão amiga sua que sequer você imagina.

E realmente é nos pequenos gestos e pensamentos que nos fazemos grandes, como você o é.

Beijos

Mirze

Luciana Marinho disse... @ 20 de agosto de 2010 13:06

belo espelho d'agua
"no toque das mãos de Mai recolhido".

texto de tocante sensibilidade.

um abraço!

Luiza Maciel Nogueira disse... @ 20 de agosto de 2010 15:21

Maravilha! O poema de Assis foi lindo e tbm merecido! Beijos

nydia bonetti disse... @ 21 de agosto de 2010 18:36

Nas singelezas, a beleza e a plenituide. Você e Assis emocionam sempre. beijo, querida.

Luciano Fraga disse... @ 28 de agosto de 2010 18:02

Mai amiga,texto singelo, tocante.Um poema cabe em qualquer lugar e não apenas onde há dor.Poesia é redenção, abraço.

Lisa Alves disse... @ 29 de agosto de 2010 13:32

Nossa essa paisagem me levou para o mundo da essência. E tua prosa me fez imaginar a natureza tocável e liquida... Qual é a imagem real? De um lado, na superficie, tudo é sólido, e dentro da água a natureza se desmancha... "Tudo que é sólido desmancha no mar..." abraços

Jorge Pimenta disse... @ 29 de agosto de 2010 15:34

li e aplaudi a justeza/beleza da homenagem.
um abraço!

Ives disse... @ 30 de agosto de 2010 12:18

Olá, muita paz a vc! Se me permitir a seguirei! abraços

meioambienteabertoleiseabusos.blogspot.com disse... @ 31 de agosto de 2010 21:51

Olá Maí, boa noite! Teu Blog sempre inspirador, gosto muito, não tenho comentado nos Blogs, troquei internet e, me dei mal, agora tenho que aguardar três meses, é uma m, cai muito. Você sabe que essa falta de umidade no ar mesmo ai na região Serrana que é úmido, mas esta na faixa de 12, 14%, quando o mínimo deveria ser 60%, não a vegetação que aquente seca tudo e, ainda tem esses irresponsáveis que ateiam fogo, abraços e, grato pela visita.

Lou Vilela disse... @ 28 de setembro de 2010 09:48

Bela e merecida homenagem!

Beijos

Postar um comentário

 

Seguidores

Links Inspirados