Inspirar-Poesia, um segundo sopro

reiniciando a máquina...

Por Sueli Maia (Mai) em 6/29/2009
Mais um ano sem laços de fita e eu, nem alegre nem triste, na ultima hora da noite, vagueei. Vagueei em sobrevoo sobre mim, vagueei sobre a cidade, sobre uns que dançavam, outros que dormiam e outros que ainda acordados, também vagueavam. E vagueei sobre meus sonhos e vi que os tenho e são tantos... Vagueei sobre projetos a começar, sobre os que há a concluir. E sobre rotas do viver, eu pairei. E pairei sobre os planos de viagem, sobre a velha máquina e eu. E vagueei sobre o ponto de chegada, sobre a hora da partida e o recomeço em um ponto qualquer, numa hora qualquer e me assentei, pensativa. Mas hoje é outro dia em que eu reafirmo propósitos, transformo desejos, promessas em metas e agora, reiniciarei a máquina que está instalando as atualizações.
.
Arte: Chagall
.
.

18 comentários:

Menino-Homem disse... @ 29 de junho de 2009 02:17

...e esta máquina também precisa de consertos, quando vez por outra, se instala traumas, tristezas, e arrependimentos.
tem coisas que no simples "delete" não conseguimos apagar, aí se necessita de um backup...

mas esta máquina quando começa a vagar por si só, sem o comando de ninguém: surge então a arte de pensar, a certeza de sentir...

obrigado por em mim ser...

carinho,
beijos muitos

do seu menino que quase virou homem.

paula barros disse... @ 29 de junho de 2009 03:13

Mai, quem tem sonhos, sempre pode transformar em projetos, e sempre pode realizar, e sempre tem forças para recomeçar.

Todos tem sonhos. Mesmo que tenha sonhado há muito tempo, é só remexer no baú. E todos tem força para voar é só acreditar.

beijos e até breve.

Osvaldo disse... @ 29 de junho de 2009 03:38

Oi, Mai;

É vagueando sobre o passado, suas alegrias e tristezas, seus risos, seus choros, sobre seus sonhos e sobressaltos, que se encontra o novo ponto de partida,... este eterno ponto que nos leva à estrada do prazer...

bjs, Mai
Osvaldo

Leo Mandoki, Jr. disse... @ 29 de junho de 2009 06:17

as vzs é mesmo preciso..parar e reiniciar...o problema é qnd o reinicio implicar voltar alguns passos atras para se poder reiniciar um caminho já trilhado..

A Senhora disse... @ 29 de junho de 2009 07:03

Menina-Mai! Fazer essa autoanálise acabamos por fazer todos os anos, né não? Mas... de certa forma concordo com o "Menino-Homem": ter os back-ups é excelente quando vemos que precisamos de apoio. Mas de resto, atualização é preciso - sempre!

Beijos, Nova-Mai! :)

Eurico disse... @ 29 de junho de 2009 09:49

Que esse "novo ano" de tua vida seja oportunidade para novos vôos, livres e aprazíveis. Estaremos por aqui, apoiando, aplaudindo, vibrando positivamente, para que todas os teus projetos sejam exitosos.

Abraço fraterno e parabéns pra vc!

Tatiana disse... @ 29 de junho de 2009 13:21

Mai...
em cada palavra lida pude sentir o quanto muitas vezes o que sentimos em nosso intimo pode ser retratado pelas mãos de outra pessoa com incrível perfeição...

Que novos dias cheguem e máquina esteja ativa!

Desejo uma semana repleta de dádivas para você!

Um beijo carinhoso

☆ Sandra C. disse... @ 29 de junho de 2009 21:24

no final do ano passado, começo deste ano, postei uma música no blog.

gostaria de deixar como presente para você, neste novo ano que se inicia na sua vida.

parabéns, minha querida ;*

***

Na vida tudo passa
não importa o que tu faça
O que te fazia rir
hoje já não tem mais graça
Tudo muda
Tudo troca de lugar
o filme é o mesmo
só o elenco que tem que mudar
Tem que alterar, pra poder se encaixar
se não for pra ser feliz é melhor largar

Então se ligue e busque felicidade
pra existir história tem que existir verdade

Numa estrela cadente o sonho se faz presente
no compasso do batuque de um coração doente
A fera tá ferida mas não tá morta
Deus fecha a janela mas deixa aberta a porta

Porque o sol não se tampa com a peneira
Pra quem já tá molhado um pingo é besteira
Renovo minha força vendo o sol se pôr
pensamento longe renovo meu amor
Minha voz faz eco, tristeza que eu veto
não importa qual o papo
O papo aqui tem que ser reto
E cada chaga que a gente traz na alma
é a confirmação de que a ferida sara

E se restaura, já foi cicatrizada
eleve as mãos pros céus
Que a tua alma tá blindada
pois ninguém vive conto de fadas
Prefiro meu degrau do que sua escada

Então se ligue
Busque felicidade
Pra existir história tem que existir verdade

Que por sinal é pra subir e pra descer
um degrau de cada vez é assim que tem que ser
Tá entendendo o que eu tô falando?
Caiu a ficha ou ainda tá boiando?
Minhas palavras pairam pelo ar
e o meu show tem que continuar
por isso eu continuo

Como dizia Ali dou ferroadas e flutuo
Que nem no ringue tem que ter molejo
na minha criação a força vence o medo

Sem querer controlar o que sinto
Vivo sem deixar sombras no tempo

Então se ligue
Busque felicidade
Pra existir história tem que existir verdade

***

Dany Ziroldo disse... @ 29 de junho de 2009 22:34

Oi Mai,

Às vezes, se faz necessário reiniciar a máquina.Reiniciar para solucionar problemas e melhorar o seu potencial...

Como sempre, um texto encantador...

Tenha uma ótima semana!

Bjs!

Dany

Paulo disse... @ 29 de junho de 2009 22:42

Sempre é om reiniciar a maquina e vez por outra é bom aumentar a memória

tossan disse... @ 30 de junho de 2009 00:29

Regredir, parar para poder progredir...Atualize a metamorfose da utopia e da realidade do cotidiano, nos faz bem...
Belíssimo texto Mai. Beijo

Elcio Tuiribepi disse... @ 30 de junho de 2009 08:13

Recomeçar de um ponto qualquer, recomeçar me lembra uma música do Flávio Venturini, muito bonita que entrou de ultima hora em seu novo DVD, vale a pena ouvir.
Vagueie Mai, sonhe, porque sonhar é o primeiro passo de um projeto, portanto...óleo nas máquinas, os sonhos não devem ficar só nos sonhos, dificil, complicado as vezes, mas não impossível...Um abraço na alma

Ana Rita disse... @ 30 de junho de 2009 08:45

Olá Mai. Já não falamos a algum tempo. (: Sempre muito simpática, o que me agrada muito na tua pessoa. Gostei muito das tuas palavras, principalmente quando dizes que estou a escrever cada vez melhor. O que me dá grande entusiasmo. Obrigada

Beijo
*

Márcio Vandré disse... @ 30 de junho de 2009 11:19

Errantes,
somos todos.
Sem rumo certo, mas carregados de pretensões.
Ajeitamos a vela, muito embora o vento teime em soprar para o lado contrário.
Eu não abandono meus sonhos,
pois no momento que eu parar de sonhar já estarei morto.

Belo texto, Mai!
E muito sucesso nessa restauração.
Um beijo!

Letícia disse... @ 30 de junho de 2009 17:25

Mai,

O U2 tem uma música intitulada "Reboot Yourself". É o começar de novo e limpar as dias.

E olha o que li no poema do Elcio:


"Portanto, se eu cair no picadeiro, me perdoem, é que nasci humano."

(Elcio Tuiribepi)


Achei perfeito.

Bjos, amiga.
E nós duas estamos bem. =)

Éverton Vidal disse... @ 30 de junho de 2009 18:21

Isso de vaguear eu também já fiz e refaço aqui e acolá. Vaguear, pairar sobre si e sobre os outros, se observando pra se reiniciar. Coisa importante na vida né, vida que vem sempre em ondas, como o mar, como disse o poeta.

E o meu desejo que este teu reinicio, este teu "novo ano" seja cheio de metas alcançadas, repleto de vitórias.

Bj!
Inté!!!

Sun disse... @ 30 de junho de 2009 20:03

Estamos sempre vagueando por aí....e o gerúndio, neste caso, está bem empregue,pois o acto de vaguear é contínuo, e nele reafirmamos os nossos propósitos, e visionamos as nossas metas.



Sempre muito bem passada a mensagem, Mai.

Um beijo grande*

Paulo Tamburro disse... @ 4 de julho de 2009 17:40

Máquinas são coisas danadas.

Sempre precisando atualizações.

O grande sonho da humanidade sempre foi encontrar a fórmula de uma máquina de moto-contínuo, ou máquina de movimento perpétuo (o termo em latim perpetuum mobile).

Lógico que estas máquinas não existem, são meramente hipotéticas e o seu segredo é que elas reutilizariam de forma indefinida a energia gerada pelo seu próprio movimento.

Pelas atuais leis da física, esta hipótese e improvável.

Portanto, enquanto, o moto-contínuo não vem, vamos nós pensando com os músculos para mantermos em movimento continuado os nossos corpos e com o cérebro, para atualizar, atualizar, atualizar...nossas máquinas.

Só não nos transformemos nelas.

Combinado,Mai.

Um grande abraço, minha amiga!

Postar um comentário

 

Seguidores

Links Inspirados