Inspirar-Poesia, um segundo sopro

palpitações...

Por Sueli Maia (Mai) em 7/22/2009
Impulsos elétricos assintomáticos. E no repouso ela pressentia a genealogia do amor. Arqueologia de um coração e tudo, era apenas palpite. Palpitações na manhã e este texto é o pressentir de um coração sobressaltado, batendo acelerado, aos galopes, a mais de cem. Ora gritava um coração em alerta - Atenção ao amor! E normalmente não se sente o palpitar do coração, e ela assustou-se. Mas sorriu com os galopes de um jóquei, no páreo. Pressentiu os sinais e os vestígios da vida. E no agitar desordenado, marcava o passo natural de um coração que espera. Palpar o punho e no meio do punho, o meio de um dia que rubra sentiu a frequência cardíaca, acima de cem. Sem palpites a arriscar, não sabia palpitar quem era o provável vencedor daquele páreo. Impulsos elétricos durante o repouso, sintoma comum da palpitação cardíaca. E a palpitação cardíaca é sintoma do que?
Imagens : Google
Música: Chico Buarque

18 comentários:

©tossan disse... @ 21 de julho de 2009 23:57

Não se afobe não que nada é pra já... Belo texto Mai! Beijo


PS: Como era fantástico Chico Buarque!

Vivian disse... @ 22 de julho de 2009 00:10

...palpitação cardíaca,
no meu caso,
é resultado de cardiopatia
messsss....rsssss

Mai querida,
você não existe com seus
textos profundos e contundentes
que até dói...

adoro

bjuuuuu, querida!

Rafael Belo disse... @ 22 de julho de 2009 02:53

De palpites da próximas emoções... Fecho o olhos e atraia o nada para a mente. É sempre bom poetizar a vida beijos MAi. beleza de palavras

Ilaine disse... @ 22 de julho de 2009 04:39

Mai, poetisa!

O coração em polvorosa, que grita, que palpita desordenado: vida, amor, paixão...
Lindíssimas palavras, amiga. E que bonita composição formou o texto com as imagens. Amei!

Beijo
Saudades!

Menino-Homem disse... @ 22 de julho de 2009 09:41

"E a palpitação cardíaca é sintoma do que?"

de novos ataques de vida... é pelo pulsar que comprovamos o desejo, sua intensidade responde as loucuras que mais a frente iremos realizar... As palpitações também são de ansiedade, medo de perder.
E assim nos tornamos humanos, e isso é lindo!

eu por ti palpito e muito,

carinho,
saudades de você.

beijos,
do seu homem mais menino.

Dora disse... @ 22 de julho de 2009 12:00

Mai! Num jóquei, o coração palpita, diante do inesperado da vitória! Esse coração assim "palpitante" é o mesmo da hora do amor. Os sintomas são os mesmos, porque comportam "esperas"...
O importante é sentir o frêmito desse músculo cardíaco, enquanto estivermos vivos! E amorosos!
Beijos, moça linda!
Dora
(Amo Chico! E você?).

SILVANA PEDRINI disse... @ 22 de julho de 2009 15:30

Sintomas de: ansiedade, paixão ou quem sabe arritmia!!!

Que SAUDADE deste lugar!

Mas acredita que perdi meu óculos e está terrível ler! Preciso comprar outro, mas falta grana. Hoje estou me esforçando para acompanhar alguns blogs. Mais 2 semaninhas e o problema estará resolvido.
te espero no meu novo espaço

bjs

Judô e Poesia disse... @ 22 de julho de 2009 16:09

"E no repouso ela pressentia a genealogia do amor. Arqueologia de um coração e tudo, era apenas palpite". Você continua o enigma apaixonante que me faz voltar, de tão longe as vezes, para não perder o que falta em mim. Beijos, Domingos.

Sandrita disse... @ 22 de julho de 2009 16:20

De vida! De que há vida dentro do caos que trazemos dentro de nós.

Lindo Mai :)
um beijo

Paulo disse... @ 22 de julho de 2009 17:37

Ah o coração e seus inúmeros sintomas...

Márcio Ahimsa disse... @ 22 de julho de 2009 18:54

palpitação cardíaca é sintoma de vida e todos os outros sintomas são sintomas de vida... São a vida gritando no corpo, às vezes cansado, precisando repouso, às veses vencido pela poeira do tempo, vasto e vago dentro da alma. Sintomas, são sempre de vida, de viver, pois a parte disso tudo, somos uma lufada de vento lento causando sintomas em nuvens e folhas que bailam em eternas tardes de outono sem se dar por isto.

Beijos, querida minha, que o coração continue palpitando, ao amor, ao viver...

Sam disse... @ 22 de julho de 2009 19:13

Palpite que a vida dá
Quando palpita no peito
Nas mãos, um reencontrar ancioso
Nos olhos, um brilho palpitante
Que palpita palavras
Que brotam dos lábios
Em sorrisos que palpitam
E dão palpites no coração do outro.

E aqui, meu coração palpitou! rs

Beijos minha flor! Saudades estava daqui

Anônimo disse... @ 22 de julho de 2009 20:00

O que será preciso fazer para que você acredite no que digo? Não vê que no que em mim palpita há você?
Você sabe quem sou, onde estou e o que desejo.
Espero e esperarei.
beijo

Humana disse... @ 22 de julho de 2009 22:27

Um coração palpitante, sinal de vida, de emoção...
Belo texto Mai.Beijinhos

paula barros disse... @ 22 de julho de 2009 22:58

Palpitações tem muitos motivos bem sabes, mas a causada pelo amor é a melhor...porque os olhos ficam brilhantes, as mãos ficam suando, o corpo todo se agita e palpita (acho que é de uma música), o sangue galopa quente, lembramos sempre da pessoa, tudo fica mais lindo....ah!!!! é o amor, só ele faz a palpitação virar um lindo texto.

beijo e saudades, adorei, adorei!!!

Elcio Tuiribepi disse... @ 23 de julho de 2009 00:09

E a palpitação cardíaca é sintoma do que?

Na certa não há um azarão neste páreo...rsrs... os dois chegarão juntos, um por dentro, o outro por fora, cabeça a cabeça, curva fechada, faltando apenas dois metros, agora um...cruzam a faixa final...rsrs...me senti um Ernani Pires Ferreira agora...rsrs
Um abraço na alma...Ah...Chico é um craque né, um puro sangue, desses vindos lá das terras do petróleo...rsrs...to meio bobo hoje...rsrs

Márcio Vandré disse... @ 23 de julho de 2009 10:31

Palpita, coração.
Segue o rumo sem saber a direção aparente.
Às vezes fica contente.
Em outros tempos se afunda na lama, decadente.

Um belo texto, Mai.
Estava sentido falta de suas postagens.
Um beijo e apareça!

Daniel Hiver disse... @ 23 de julho de 2009 16:08

Tum-tum-tum... Bate coração acelerado. Quase sai pela boca. Aumenta pressão. Seca os lábios. Lança na paisagem um sorriso maroto e meio louco. Assim o coração dá as cartas para que tenhamos coragem de dar a cara para bater. E o máximo que vamos ouvir é um sim, ou um não. Caminho aberto para um carinho. Ou fechado para balanço até que surja um novo motivo para excitação.
Daniel Hiver

Postar um comentário

 

Seguidores

Links Inspirados