Inspirar-Poesia, um segundo sopro

birutas

Por Sueli Maia (Mai) em 8/10/2011
quando o cenho do céu cismou ventania
bambus assuntaram direção
jandaias arquearam vozerio
sanhaços arribaram azuis
mas as flores do ipê pintaram
vento e silêncio
no chão

.

26 comentários:

nydia bonetti disse... @ 10 de agosto de 2011 15:09

e por aqui, a vida hai cai... amei o poema, mai e o novo visual do inspirar - (sem música. rs rs) beijos

Lalo Arias disse... @ 10 de agosto de 2011 16:39

essas vozes da roça, Mai, sempre me comovem. A sua, então...
beijoca, amiga minha

Rafael Belo disse... @ 10 de agosto de 2011 17:42

a voz da alma saiu aturdida do coração vendo os fazeres de Deus... Belos versos querida bj saudosos , gostei do novo visu to precisando tb

betina moraes disse... @ 10 de agosto de 2011 19:51

quanta delicadeza...

sua letra nos permite voar.

um beijo, querida!

Eurico disse... @ 10 de agosto de 2011 20:48

Amiga d'infância,
que bom te ver reflorindo como os ipês.

Estava saudoso.

Abç fra/terno.

Ribeiro Pedreira disse... @ 10 de agosto de 2011 21:02

o ipê seja lá qual cor sempre pinta os olhares de nós e os cantos que vêm diversos.

Mário Lopes disse... @ 10 de agosto de 2011 22:51

A natureza sempre nos surpreende da mesma maneira e a poesia - como disse Gonçalo M. Tavares - nasce de um desejo excêntrico. A natureza começa o que o homem conclui introduzindo a linguagem.

A janela da Mai está sempre aberta e os seus olhos atentos descobrem os espaços só prometidos às aves. Perdão: aos poetas como ela.

Beijo terno.

Luna Sanchez disse... @ 11 de agosto de 2011 10:10

Cada um oferece o que tem, né?

Lindo, lindo!

Um beijo.

guru martins disse... @ 11 de agosto de 2011 11:58

...e a primavera
tá quase pintando...

bj

Elisa Zambenedetti disse... @ 11 de agosto de 2011 14:25

Um filme passou pela minha retina! Parabéns pelos lindos textos!
Beijos.

Assis Freitas disse... @ 11 de agosto de 2011 17:02

tão bom quando vc pinta meus olhos com essas cores birutas, me vejo invento


beijo

Letícia Palmeira disse... @ 11 de agosto de 2011 23:15

Faz muito tempo que não venho aqui. O blog está bonito. Inspirador. E você agora escreve poesia. Fiquei feliz.


Beijo, Mai.

MIRZE disse... @ 13 de agosto de 2011 18:00

MAI!

Saudades de ti! Ficou mais clean o layout e continuam lindas tuas palavras , versos e afins.

Beijos

Mirze

Thomaz Ribeiro disse... @ 14 de agosto de 2011 12:58

A vida só pode ser traduzida assim: poesia.

claudete disse... @ 16 de agosto de 2011 18:36

Mesmo que venha a tempestade, ainda que o sol intenso possa ser abrasador, não consegue matar a alma do poeta...Você , Mai renasce, após a devastação, com força e vigor na beleza do seu poetar, é a própria vida em toda plenitude aqui revelada. Abraços.

byTONHO disse... @ 20 de agosto de 2011 04:18



"Gui.MAI.rães Rosa"!

:o)

Lua Nova disse... @ 14 de setembro de 2011 15:38

Mai

Fico muito feliz por vc ter voltado, pois seria difícil abrir mão da tua prosa ou da tua poesia, as quais eu admiro demais.
Que coisa mais delicada esse "birutas". Tua arte é madura, doce e suculenta como fruta de tempo no pé. Tudo se transforma em beleza aos teus olhos de poetiza e tuas impressões escritas com tanto esmero, são um encanto que envolve em graça e luz a quem te lê.
Saudades.
Beijokas.

Kenia Cris disse... @ 15 de setembro de 2011 23:43

Deus do céu, deve ter uma década que eu não venho aqui! Que lindo o seu novo design e que delícia esses poemas. Mai, que a vida lhe confira muitas palavras e combinações tão belas como as que só se vê por aqui.

Beijo carinhoso!

Zélia disse... @ 16 de setembro de 2011 21:11

Tanto tempo mostra como coisas mudam... :D

Aqui em João Pessoa, tem muitos pés de ipê amarelos. É lindo ver o chão pintado. Bjo!

Troll disse... @ 17 de setembro de 2011 15:45

E assim a vida vai se deixando cair dos galhos, aos poucos mas tão bela, não acha? Saudades de ti, caríssima.

Juliana Caribé disse... @ 22 de setembro de 2011 15:12

Eu escreveria "vento e silêncio no chão". Adorei o layout novo, Mai. Saudades de você.
Beijos.

Zélia Guardiano disse... @ 30 de setembro de 2011 14:12

Muito, muito lindo, Mai!!!
Bjs, querida!

Lua Nova disse... @ 16 de outubro de 2011 12:50

E então, Mai, kd vc, poetiza?
Faz falta ler seus textos. Espero que esteja tudo bem.
Beijokas.

tossan® disse... @ 18 de outubro de 2011 20:53

Oi Mai, sumiu?! Vamos lá, o poema é muito bom como só você sabe fazer, digo isso porque o teu estilo é único. Só falta umas fotos...rsrsrs... Beijo moça
PS: Não liga mais para os fotógrafos?
Mande-me notícias.

dade amorim disse... @ 20 de outubro de 2011 23:57

Que lindo, Mai! Amei.
Beijo beijo.

R. Guimaŗãeร disse... @ 6 de novembro de 2011 14:44

Mai, metade de vc é poesia e a outra metade é poesia-amor.

Adoro versos seus...

Beijos,
Ry.

Postar um comentário

 

Seguidores

Links Inspirados