Inspirar-Poesia, um segundo sopro

um nome de mulher

Por Sueli Maia (Mai) em 3/08/2010
.
Esta palavra tem garganta e voz. Levanta cedo, estica a folha, prende os cabelos, vai. Faz o café, resolve o almoço e sai. Tem coração e é um PC com um HD de um terabite. Um pão com beijo e histórias bem vividas, são quatro Gigas, arquivo bom. São livros velhos. Tem Kerouac, Beatles, montanha russa... Agora corre. O trânsito é lento. Olha o relógio e lembra galos nos quintais de seus avós. Lá vem o tráfego. E tudo passa na cabeça, ela acelera e grita: OLHA O CICLISTA! No som do carro, a voz é bela. Repete a música, desacelera e pára. É o sinal. Agora o cérebro está um caos. Há tanta coisa...é muita coisa! Ela é um dínamo. Um quase velox. Vestindo aço e pedra, o átrio chora e ela sorri, engole o choro e escuta. Fala prá dentro e prende o grito. Sai novamente, e haja pedra e vida. Vai ao cinema, escolhe um filme e chora o dia em uma cena. Mas, chega à tarde, ela é mulher e sangra. Sangra suas guerras quando se cala. Mas tudo sara e beija o homem. Disfarça o dia, relaxa o corpo e limpa a pele em banho e espuma. Agora desce, esquenta a janta e ouve a outra voz. Lembram dos filhos e da família. Agora lava com detergente biodegradável, e seca a louça, as mãos e o dia. Agora o grito. E em silêncio essa garganta escreve e elabora a sanidade da loucura. Arquiva tudo e limpa as teias. Agora o espelho, um hidratante, ela respira, solta os cabelos, ama. Esta palavra tem um nome e vive. Eu minto! Minha garganta, não. Hoje é domingo.
.
texto reeditado

64 comentários:

poetaeusou . . . disse... @ 18 de janeiro de 2009 19:12

*
palavra-mulher
no transito da vida
sentido alfabeto
um cálice de sangue
do filho nascido,
pietá de nós
amiga e noiva
conselheira e mãe
mulher, feita amante . . .
,
conchinhas amigas, deixo,
,
*

Quase Trinta disse... @ 18 de janeiro de 2009 19:42

adorei a parte que diz "ela elabora a sanidade dessa loucura"
Me reconheci nesse trecho...

E estou ainda mais apaixonada pelo último comentário que deixou no meu blog, foi muito especial e importante ler... e fez a diferença no meu dia... de coração obrigada.

beijos

Monday disse... @ 18 de janeiro de 2009 20:41

o texto ia bem, ia bem, gostoso, bem escrito, entre metáforas e sinônimos ... mas a última frase valeu um sorriso gostoso e uma pequena risada ... muito bem sacada!

bjks, menina, e boa semana pra ti ...

Sam disse... @ 18 de janeiro de 2009 21:44

Diliííííciaaaaaaaaaa!!!!!!!!!!

Adorei, moça, mulher, menina bela

Abraços, flores e estrelas... nessa mulher de ouro!

Elcio Tuiribepi disse... @ 18 de janeiro de 2009 21:44

Esta palavra representa muito bem o dia-a-dia das mulheres...rs
Ahhh..li o outro...e destaco est parte...
"Se o silêncio imposto cala a minha fala
E na ausência de minha fala implodo
O meu silêncio no inaudível explodo
Eu tenho a arte. Não a faca nem o açoite"
Toda palavra é bem-vinda, mesmo quando ela é gerada em silêncio...boa semana para você...um abraço na alma

Águas de Março disse... @ 18 de janeiro de 2009 22:01

Maravilhosa.Ameiiiiiiiiiiiii!
Você é super , super!

Tata disse... @ 18 de janeiro de 2009 22:41

Oi Mai,

Ser mulher é isso...é um pouco de tudo, neurose, amante, mãe, profissional, ser de multiplas faces.....nós mulheres!

bjus

paula barros disse... @ 19 de janeiro de 2009 00:04

Vou lendo e me lembrando de músicas que me pego cantando no dia-a-dia.

"todo dia ela faz tudo sempre igual..." - mesmo que não seja, me pego cantando.

"é a vida, é bonita, é bonita..." - mesmo que também não seja todo dia...

O pior que lembrei foi - engole o choro. Ah, como ouvia isso, e como isso é ruim...

A escrita hoje me ajuda, choro lágrimas e palavras simultaneamente.

abraços e uma boa semana.

Paulo disse... @ 19 de janeiro de 2009 00:57

Olá Mai,

Essa mulher é toda emoção,
intensa, sentimentos aflorados...
domados, é especial!

PALAVRAS disse... @ 19 de janeiro de 2009 01:23

pefeição de palavras, daquelas que a gente sente, falou ao meu coração... o que vivo, o q n vivo o que quero viver...
parabéns
perfeição
bjs

Márcio Ahimsa disse... @ 19 de janeiro de 2009 11:07

Ah, mulher, tantas vezes, mulher, sim... E ainda mais, e mais, aço, mulher espaço, corre, sente, aqui, dilacera, coração aberto, muitas vezes, tantas, sorri sorrisos ao vento, é dor, e cor e carinho como qualquer pétala sem espinho, é ninho e graveto, passarinho feliz... É, mulher vento que preenche todos os espaços, que dissipa cansaços, aqui, sim, ontem, hoje e amanhã, imã que chama, que acende, que vibra e cala, para falar... E fala, eu ouço, no calabouço de mim, eu ouço, sussurrante, voz e coração... É assim, eu sinto, mulher aço e coração, vento livre bate asas e voa, longe, longe, longe...

Eu sorriso sempre.

Beijos, querida.

A Senhora disse... @ 19 de janeiro de 2009 11:39

Esse ficou entalado na garganta... ;)

Beijinhos, querida

Serena Flor disse... @ 19 de janeiro de 2009 12:12

Perfeito amiga...adorei viu!
Uma ótima semana pra você...beijos.

On The Rocks disse... @ 19 de janeiro de 2009 14:46

pô, que massa!

gostei muito do poema meio beatnick, meio surreal.

bj

Lipe M.T disse... @ 19 de janeiro de 2009 14:54

Lendo e lendo e lendo e lendo e lendo...

Sentindo cada dia mais o que nunca vou enjoar...

Adoro ler o que vc tem a nos dizer...

É sempre bom...

Abraços...
Paz e bem !

Saara Senna disse... @ 19 de janeiro de 2009 22:52

Olá, adorei o seu texto!
Essa narrativa serve ou ainda vai servir para todas as mulhers desse mundão, muito bom mesmo.

...
Ela é o sexo frágil
Será que o nome combina?
É mais forte do que pensam
Ela é uma heroína
É a fonte do amor
É inspiração divina.

Mulheres...

Beijo grande :)

Saara Senna disse... @ 19 de janeiro de 2009 22:54

Ah, adorei a cara do blog, tudo muito diferente aqui, parabéns!
Essa musiquinha do Ben Harper, nooossa, perfeita

:)

Flávia disse... @ 20 de janeiro de 2009 22:30

Esse foi a perfeição, Mai.

nossa... me emocionou.

Esse eu senti inteiro...

Perfeito - te aplaudo, de pé.

Beijos, muitos :)

mateo disse... @ 21 de janeiro de 2009 11:05

... seja o nome de mulher que for desde que seja MULHER! Muito, mas muito... feminina porque para masculino basto eu.
Depois... talvez um copo, só um! Ou um doce e duas colheres.
Para podermos beber e comer em "um"!
Bjs

danubia disse... @ 21 de janeiro de 2009 17:04

Olá ! é a primeira vez que visito o seu blog, achei o seu texto belissimo, há tempos atrás me considerava uma mulher romantica e apaixonada pelas coisas simples, pela vida, hoje vivo em busca daquela plenitude que eu sentia, mas não encontro, só resolvi escrever para dizer que o seu texto conseguiu me transmitir por alguns instantes toda aquela paixão que sentia no passado, foi tão intenso que chorei enquanto lia.
Só tenho que agradece-la !!!
Um beijo no seu coração, de alguem que vai estar sempre por aqui em busca da plenitude que os seus textos despertam.
com carinho
Danubia...

tossan disse... @ 21 de janeiro de 2009 20:54

Sexo frágil nem no papel!Só no banho de espuma! Belíssimo texto! Beijo

Delirius disse... @ 23 de setembro de 2009 03:59

Fabuloso!....
Beijo

Le Vautour disse... @ 8 de março de 2010 05:11

Adorei a distante metonímia. Ia lendo o texto e ouvindo a música, e então senti a sinestesia perfeita. Quanta lucidez e quanta beleza!

Elcio Tuiribepi disse... @ 8 de março de 2010 06:47

Esta palavra representa muito bem o dia-a-dia das mulheres...rs
Ahhh..li o outro...e destaco est parte...
"Se o silêncio imposto cala a minha fala
E na ausência de minha fala implodo
O meu silêncio no inaudível explodo
Eu tenho a arte. Não a faca nem o açoite"
Toda palavra é bem-vinda, mesmo quando ela é gerada em silêncio...boa semana para você...um abraço na alma...acredite...não copiei...rsrsrs

Lou Vilela disse... @ 8 de março de 2010 07:24

Belo texto-homenagem, Mai!

Beijos, minha cara!

Tatiana disse... @ 8 de março de 2010 08:12

Querida Mai...
Considero o dia das mulheres todos os dias em que ela acorda... Mas hoje em especial desejo que seja um dia maravilhoso para você!

Beijos

Maria Dias disse... @ 8 de março de 2010 08:13

"Dizem q mulher é o sexo frágil mas que mentira absurda..." Sim é exatamente assim...Bonito o q escreveu(bonito e criativo como sempre).

Um dia algumas mulheres resolveram por requerer seus direitos e morreram tentando.De lá para cá ss coisas melhoraram para nós mais ainda temos muitos degraus para subir...

Feliz dia da mulher!

Beijinho

Mariah disse... @ 8 de março de 2010 08:28

mas domingo é dia de macarronada...e lá sai ela louca...com molho de macarrão!

Dauri Batisti disse... @ 8 de março de 2010 08:33

Querida Mai,

às vezes fico pensando que esta data - o dia da mulher - ainda é uma data sem charme, sem feminilidade, sem graça. É como se o 8 de março nao conseguisse traduzir a força e a beleza da mulher. Mas deixemos isto de lado, esta coisa de data, o que vale aqui é o teu texto, como sempre exato, oportuno,real, inspirado do sangue e do útero.

PARABÉNS!


Beijo

Wania disse... @ 8 de março de 2010 08:55

Mai

Conseguiste nos traduzir muito bem, belo texto! Lendo-te me lembrei desta música da Rita Lee...

Sexo frágil
Não foge à luta
E nem só de cama
Vive a mulher...

Por isso não provoque
É Cor de Rosa Choque
!



Parabéns a nós, Mulheres!

Bjs

lágrima disse... @ 8 de março de 2010 09:07

... e minto, garganta não..., garganta sufoca no grito!

Flores para TI, Mulher!!

b disse... @ 8 de março de 2010 09:11

Por isso sugerimos pactos.
Cada hora um pacto.
Cada saliva passada por tal garganta uma personagem e assim vamos.
Seu texto comoveu-me.
Mostrou-me um caleidoscópio e entrei nele.
Cor, movimento e arestinha do vidro nas peles.

Barbara disse... @ 8 de março de 2010 09:13
Este comentário foi removido pelo autor.
Andréia A disse... @ 8 de março de 2010 09:32

Mulher

Mulher, a perfeição Divina!
Dócil, forte e muito fina.
Sua vida é uma correria
Trabalho fora e moradia.
E nessa luta do dia-a-dia
Ela se esforça vence o cansaço
Pra agradar: patrão, filhos e par...
É ela a luz de todos os caminhos!
Vence barreiras e abre portas,
Conquistas espaço nas encostas
Com dedicação e muito saber.
Ser mulher é fascinante!
É ser bela e atraente,
Quase sempre sorridente.
Ela é o brilhante, a pedra rara!
Sabe o que não e o que quer
Característica de toda mulher.
Dela se pode falar: dias,
Meses, anos, sem nunca esgotar
Palavras sempre, irão brotar.

Feliz dia das Mulheres

Beijos
Andreia

Beto Canales disse... @ 8 de março de 2010 10:04

Mui legal.

Eurico disse... @ 8 de março de 2010 10:21

On the roads, né? Kerouac, Beatles. Mas, Creedence Clearwater Rvival, nós ouviamos, amiga d'infância... rsrsrs Também lembro dos galos da casa de teus avós.
Até hoje eles cantam aqui perto, aqui dentro, quando ouço Belchior.
O que não esqueço é da tua risada, da tua força, da tua voz ao violão.
Canta, amiga.
Canta e espanta todos os males!!!

Eu de cá te mando flores.
E te ad/miro: és uma mulher raríssima e única. Proclama a tua raridade!

Abraço fra/terno

Caio Fernandes disse... @ 8 de março de 2010 11:05

kerouac , beatles e montanha russa e realmente muito bom .

sim .... ela e tudo isso que voce escreveu .

Rafael Belo disse... @ 8 de março de 2010 12:17

Nada de Costela , tudo de alma... ah, mulher a palma na palmatória de ter o mundo nas costas e o silêncio no assobio. QUe magnânima poesia, linda. Um fluxo orgânico de um cotidiano mulher. Esplêndido. Me ajoelho revenciando, lhe lavo e beijso os pés e a sigo aplaudindo pela vida. beijos floridos de compreensão querida. Parabéns.

Mirse Maria disse... @ 8 de março de 2010 13:51

Nossa, Mai!

Chorei, viu?

Muito lindo, é o máximo que consigo dizer. Quase sempre faltam´me palavras depois de te ler!

Parabéns pela grande mulher que tenho certeza que és!

Beijos

Mirse

tonhOliveira disse... @ 8 de março de 2010 14:13




ela está coMpleta → Mulher-aMor-Mãe!

deMAIs!

be:)os!

Ilaine disse... @ 8 de março de 2010 15:26

Mai!
Um texto fabuloso para um dia especial. Sim, você sempre toca com suas palavras... e na hora certa.
Feliz dia para nós!!Beijo

Beatriz disse... @ 8 de março de 2010 15:29

muito bom! adorei o pão com beijo e o sangue de guerra.
maravilhoso.

Renata de Aragão Lopes disse... @ 8 de março de 2010 15:48

Lindo texto, Mai!

Fico, especialmente, com o trecho:
"chora o dia em uma cena"...

Sim.
Somos todas assim,
por mais distintas
que possamos parecer. : )

Beijo e um feliz dia,
doce de lira

Jacinta Dantas disse... @ 8 de março de 2010 17:09

E assim vamos nos fazendo ser nesse complexo mosaico feminino. Choramos, sangramos, gargalhamos...vivemos. E não podia ser de outra maneira. Somos Mulheres.
Beijos, Mulher-Mai.

Everton Domingues disse... @ 8 de março de 2010 17:15

Oi Mai

Licensinha pra te deixar um toque de carinho nesse dia tão especial. Afinal, vcs mulheres são a mais doce inspiração em nossas vidas. Sejam mães, amigas, irmãs de fé, companheiras, divas... exemplos! Vcs cativam a todos nós homens pelo coração.
Bj enorme, Mai, cheio de carinho em seu coração.

Everton

PS.: No www.vancouverolimpica.blogspot.com deixei uma singela homenagem a todas as campeãs da vida!

Dani Pedroza disse... @ 8 de março de 2010 18:22

"Vai ao cinema, escolhe um filme e chora o dia em uma cena."

Há poucos dias, essa constatação me rendeu algum tempo de reflexão. Alguém que, numa cena de um livro qualquer, se pega chorando suas próprias dores. Dores estas que não foram choradas na hora em que a ferida latejava. Alguém assim o que é? Louca, fria, covarde. Ou seria apenas um problema de "tempo"? De qualquer forma, não deixa de ser uma boa tática (fingindo que é uma coisa calculada almejando um determinado fim). A cena passa e isso é uma espécie de mão estendida que te tira do meio da arrebentação. Salva-vidas. Exagero. No máximo, uma bóia lançada. Uma ajuda, uma referência, um apoio. E você que trate de bater pernas e braços que a praia está te esperando. Nadar é preciso. Tanto quanto navegar. Morrer na praia é uma possibilidade. E daí? Saber que 24 horas depois (ou mais ou menos) eu vou estar novamente na minha cama não me faz desistir de levantar todos os dias. E lavar o rosto, e pentear os cabelos, e chorar lágrimas de verdade num mundo de mentira, e lavar a louça do jantar, e amar, e amar, e amar...

lyani disse... @ 8 de março de 2010 20:41

Feliz Dia Internacional da Mulher! :)

guru martins disse... @ 8 de março de 2010 22:19

...mulher maluca
é pleonasmo...

bj

Elcio Tuiribepi disse... @ 8 de março de 2010 22:27

Oi Mai...plac..plac...plac...
Lendo de novo e absorvendo cada detalhe...e hoje com uma visão diferente daquela de um ano atras...engraçado como isso muda entro da gente, destaco esta parte...

Sangra suas guerras quando se cala. Mas tudo sara e beija o homem. Disfarça o dia, relaxa o corpo e limpa a pele em banho e espuma. Agora desce, esquenta a janta e ouve a outra voz. Lembram dos filhos e da família. Agora lava com detergente biodegradável, e seca a louça, as mãos e o dia. Agora o grito. E em silêncio essa garganta escreve e elabora a sanidade da loucura

Como se estivesse a querer sair do cotidiano...enlouquecendo desbravadamente a procura da outra sanidade...aquela outra que as vezes não pode...a que quase sempre diz não...

Lara Amaral disse... @ 9 de março de 2010 00:30

Esta palavra é daquelas que deixam vestígios, que fazem história.

Beijo, amiga, lindo texto.

Daiana Costa disse... @ 9 de março de 2010 03:19

Sendo assim, apressada com o relógio, em costumeiros caminhos e alardes, ela vive a vida como se fosse morrer amanhã. Pelo som, pelo toque, pelo movimento de quem se encontra ao seu redor.
Belo.

Assis Freitas disse... @ 9 de março de 2010 10:34

coragem e alegria para ser e existir e resistir. cheiro

Maria Dias disse... @ 9 de março de 2010 11:32

É isso ai minha amiga, somos nós na fita!rs... E vc hein?Sempre com esta escrita fina e surpreendente!rs...

Beijocas!

Macaires disse... @ 9 de março de 2010 12:10

Oi, amiga!
Que texto intenso, hein?
Representa toda e cada mulher, nos seus diferentes jeitos de pensar e agir, mas iguais na forma de ser mulher!

Um grande beijo, Mai!

reltih disse... @ 9 de março de 2010 12:30

excelente dedicatoria. bello escrito.
un abrazo

Nydia Bonetti disse... @ 9 de março de 2010 13:20

Haja pedra e vida. Haja emoção. Pois poesia há muita - e beleza. Que texto, Mai. Já havia me emocionado há pouco, com uma foto antiga de Leila Diniz e Dina Sfat, numa passeata, e agora teu texto. Haja coração. Beijoos!

J. disse... @ 9 de março de 2010 14:44

"Todo dia ela faz tudo sempre igual"... E, ainda assim, não perde a beleza.
Beijos.

Multiolhares disse... @ 9 de março de 2010 16:32

E há que diga que somos o sexo fraco, por vezes me pergunto de onde vem tanta energia, como conseguimos ser estas super mulheres, depois lembro-me que é o amor pela vida pela familia pela harmonia, na verdade o amor move montanhas,mas também por vezes descubro que ás vezes nos esquecemos que também precisamos ser amadas por nós mesmas.
beijitos

líria porto disse... @ 9 de março de 2010 17:44

mai
minha amiga heloísa queirós é a cara desse teu texto - são gêmeas univitelinas????

gostei muito!
besos

Delirius disse... @ 9 de março de 2010 18:08

... oh Mai, mas eu tou ainda no teu abraço, menina :))))) segurei ele muito bem :))))
Beijos desde aqui, num frio de rachar... brrrrrrrrrrrrr...rss

Bahh Grou. disse... @ 9 de março de 2010 21:07

Simplesmemte maravilhoso, essa mulher que é tudo de uma vez só, e é intensa e ama e chora e grita e finge e mente e quer sempre o bem.
Lindo! Beijos.

claudete disse... @ 9 de março de 2010 23:34

Mulher , plural...singular somente quando unifica todas em uma. Genial a concatenação contida nos seu versejar. Gostei! Para não deixar de te visitar vou te linkar. Obrigada pela visita entil.

Walkyria Rennó Suleiman, disse... @ 15 de março de 2010 18:24

Mai, "haja pedra e vida". Mai, como vejo nas tuas palavras, as cenas, as pessoas, as solidões e papéis... minha amiga, que olhos e que coração vc tem! Eu sei que ao entrar aqui, não sairei a mesma, nunca!

Luanne Araujo disse... @ 17 de março de 2010 22:53

a música da madrugada... possibilita esta troca entre os seres, se comunica de forma não verbal... me senti tanto luíza quanto lizandra, metades que se completam?

Beijos,

Postar um comentário

 

Seguidores

Links Inspirados