Inspirar-Poesia, um segundo sopro

cenários

Por Sueli Maia (Mai) em 1/27/2011
.

Por hora há pés sobre seixos e brita
Há cortes, há mato, há lama e sobressalto...
Nuvens terracota no ar
Entre cochilos e cochichos - coaxares
Exceto por algumas galochas - flutuam futuros

.

79 comentários:

Ricardo Valente disse... @ 26 de janeiro de 2011 23:16

,,,,e a terra. Sempre ela a nos lembrar.
Beijaummmm

TERE disse... @ 26 de janeiro de 2011 23:17

Um carinhoso abraço, Mai.

Sonhadora (Rosa Maria) disse... @ 26 de janeiro de 2011 23:18

Minha querida

Em silêncio deixo apenas um abraço bem apertado.

Sonhadora

Anônimo disse... @ 27 de janeiro de 2011 01:44

Mal posso imaginar esse horizonte cortado, Maizita.
Beijinho.

blog divulgação disse... @ 27 de janeiro de 2011 09:52

Estou visitando seu blog para convidá-lo a participar de um evento que está sendo promovido no meu blog.

Minha proposta é ajudar na divulgação de blogs, possibilitando que os blogueiros sejam mais reconhecidos na blogosfera assim como conheçam outros blogs interessantes.
Nesse primeiro evento, você blogueiro ajuda a divulgar seus blogs favoritos, num próximo evento já previsto, você divulga o seu blog no nosso espaço. Diversos eventos serão realizados com periodicidade constante.
É a sua chance de divulgar seu blog, ganhar mais seguidores e reconhecimento.É também uma grande oportunidade para conhecer outros blogs.

Participe desse primeiro evento. Siga o blog DIVULGAÇÃO.Transforme-se em um divulgador de blogs. Promova seu blog e seus eventos. Contribua com esta idéia e ajude a transformar esse blog em uma revista especializada em garimpar, divulgar e compartilhar talentos na blogosfera.

Desde já agradeço

Ana (Blog Divulgação: www.revistadosblogs.blogspot.com )

Helcio Maia disse... @ 27 de janeiro de 2011 10:48

"...na boca da noite, na beira do mato, os grilos são astros..."

Jorge Manuel Brasil Mesquita disse... @ 27 de janeiro de 2011 11:31

Há a natureza que nos respira os pulmões e há os pulmões que o desconhecem. O filtro dos sentidos são esquilos que nos adoçam a vista.
Jorge Manuel Brasil Mesquita
Lisboa, 27/01/2011

Paula Barros disse... @ 27 de janeiro de 2011 14:23

Um cenário de dor, de sonhos enlamaçados, de futuros soterrados. Mas a força humana é impressionante, de levantar-se do nada, do chão, de debaixo da lama.

beijo

Sidnei Olivio disse... @ 27 de janeiro de 2011 14:30

Há a poesia como um contraponto. Força sempre. Beijos.

Unknown disse... @ 27 de janeiro de 2011 17:56

MAI!

Nem me fale! Já nem consigo dormir, comer...muito menos. Mas o pior foi saber que você estava lá.

Conte comigo!

Beijos

Mirze

Eleonora Marino Duarte disse... @ 27 de janeiro de 2011 19:01

mai,

um poema para espantar tamanha a descrição da crueza com que acontece a vida por aí.

um beijo, querida.

dade amorim disse... @ 27 de janeiro de 2011 19:08

Há imagens que para serem realistas têm que ser surrealistas. Essas nuvens de terracota e os futuros que flutuam expressam bem o sobressalto.

Beijo, Mai.

lula eurico disse... @ 27 de janeiro de 2011 19:26

Solidário com tua luta.

Abraço fra/terno.

byTONHO disse... @ 27 de janeiro de 2011 20:23



Terracota!
Quanto?
Uma cota conta...
ContaDOR, canta a dor... pé e poeira!

:(

Márcio Ahimsa disse... @ 27 de janeiro de 2011 22:08

cenários
curtos.
apenas
aquários
num surto
inimaginável...
são canários
num curto
e espaçado
fio de tempo,
teso e lento
como um
relicário
líquido
de vento...

Beijo amore mio.

Amo te espaçadamente.

Jacinta Dantas disse... @ 27 de janeiro de 2011 22:16

De todos os sinais, gosto de saber e sentir que, paira no cenário a vontade de continuar o espetáculo do viver.

Abraços

Unknown disse... @ 27 de janeiro de 2011 22:32

esses futuros suspensos, sussurram


cheiro

líria porto disse... @ 27 de janeiro de 2011 23:04

bom te saber de volta - ainda que com o coração nas mãos...
besos

Zélia Guardiano disse... @ 28 de janeiro de 2011 09:41

Querida Mai
Por hora já é o bastante.
Tua presença é imprescindível, aqui.
Que bom que voltaste!
E trazendo lindos versos...
Forte abraço.

Penélope disse... @ 28 de janeiro de 2011 09:45

E os futuros sempre hão de nos flutuar.
Eis aí o mistério de se viver...
Abraços

Julia disse... @ 28 de janeiro de 2011 18:47

O cenário é triste
e o futuro incerto,
mas o poema, ao menos alenta...

maria claudete disse... @ 28 de janeiro de 2011 19:13

Inspiração bendita que lembra a nidação da célula-ovo...É no flutuar desta que se consolida pela implantação um novo ser...O caos do ocorrido inspira a poesia concreta de um "futuro" a flutuar buscando fixação em um novo horizonte...Vejo assim a beleza nua dos teus versos. Beijos e muita força.

Zélia disse... @ 28 de janeiro de 2011 20:12

Feliz ano novo!!!
Ainda não tinha vindo aqui :D

Bom que, apesar dos sobressaltos, flutuem sonhos, esperanças e futuros...

;)

Daniele S.F disse... @ 29 de janeiro de 2011 16:27

Bonito poema, parabéns pelo blog amiga das letras!
Saudações Literárias

ítalo puccini disse... @ 29 de janeiro de 2011 18:59

flutuam futuros.

achei ótemo!

bjs

Betha Mendes disse... @ 30 de janeiro de 2011 11:30

Um belo poema em um belo jogo de palavras!

Betha

HBC HDTV disse... @ 30 de janeiro de 2011 13:44

HBC HDTV:
Convidamos você cara leitora, que goste de ler e apreciar um bom conteúdo, onde se encontram tudo sobre: Celebridades, Televisão, Futebol, Coisas Bizarras, Novelas, vídeos de música, pegadinhas e desenhos antigos e atuais, séries e muito mais.
Contamos com a sua audiência ! Pois um Blog como o HBC HD merece grandes Leitoras como você. Nos visite e seja nossa seguidora você não vai se arrepender !
Ao nos seguir, retribuiremos da mesma forma, seguindo o seu blog, que é de muito bom gosto.
Ass: HBC HD. www.hbchdtv.blogspot.com

Elcio Tuiribepi disse... @ 30 de janeiro de 2011 17:47

Oi Mai..ainda bem que no meio disso tudo ainda possa sobreviver a esperança, a solidariedade, a amizade e a enorme vontade de continuar em frente...
Um abraço na alma
Bjo

guru martins disse... @ 31 de janeiro de 2011 17:41

...é necessário
se ter fé na vida
e no futuro...

bj

Fred Caju disse... @ 31 de janeiro de 2011 21:20

Múltiplas interpretações é o que não vão faltar. Abraços!

:.tossan® disse... @ 31 de janeiro de 2011 22:56

O interior dela se revolta. Beijo de saudade

Ilaine disse... @ 2 de fevereiro de 2011 05:12

Cortes... e tudo tão de repente. Que os futuros que estão a flutuar mudem os cenários. Beijo

Luna disse... @ 2 de fevereiro de 2011 17:06

Há tanto... mas ainda existem os corações bondosos para dar a mão a quem precisa para se erguer dessa lama
beijos

Maria Luisa Adães disse... @ 2 de fevereiro de 2011 17:38

Mai

Telefonei três vezes. Uma vez deixei recado na caixa. Compreendo
que não tenha respondido. Se a
tragédia foi tão grande que importa um telefonema? Nada!

Estive no Rio até muito próximo do que aconteceu. Não tive pc e também deduzi (talvez mal) que não
estaria disponível - e é evidente
que não estava.
Esteve sempre no meu pensamento e
nunca esqueci, os preparativos para ir a Nova Friburgo.
Infelizmente, foi um sonho sonhado com antecipaçào que nunca se podia realizar.
Neste momento regressei a sampa e
finalmente tive pc para lhe poder
escrever.
É isso que estou a fazer!

Vi as notícias em todo o lado onde me encontrava e pensava em si, como se a conhecesse de há muito tempo.

Lamento profundamente o acontecido
- pelos mortos e pelos vivos...

Mai, talvez não a torne mais a encontrar, assim como não encontrei...

Talvez tenha perdido amigos ou familia - não sei!

Mas sinta que sempre a vou lembrar
e daquele encontro planeado que o destino ou a vida, não deixou realizar.
Apresento o meu pesar!

Ainda vou tentar telefonar, antes de partir para Portugal.

Um abraço,

Maria luísa Adães

nydia bonetti disse... @ 3 de fevereiro de 2011 01:13

há uma dupla interpretação nestes futuros que flutuam, mai. eu fico com a imagem do futuro que não submergiu. resiste sobre tudo... beijos, querida.

Carol Morais disse... @ 3 de fevereiro de 2011 17:57

Sempre há pés soltos sozinhos eabandonados sobre eixos vãos, seixos e britas.
Lindo escrito.

Anônimo disse... @ 3 de fevereiro de 2011 21:28

As aliterações me fizeram voar com o seu pensamento. A música embala, a doçura encanta, enfim... que mai(s) dizer?

Lou Vilela disse... @ 4 de fevereiro de 2011 23:02

Há também poesia, apesar de.

Bjs saudosos

Oliver Pickwick disse... @ 8 de fevereiro de 2011 02:47

Seixos, brita, cortes, mato, lama, sobressalto e nuvens terracota. Já ouvi relatos de recomeços florescentes onde sequer existia uma galocha.
"Flutuar futuros" é uma expressão feliz e encorajadora. Talvez não tenha escrito com essa intenção, mas, pense nisso.
Um beijo!

olharesdoavesso disse... @ 8 de fevereiro de 2011 16:13

A terra descalça em nossos pé nus, a enraizar um futuros em raízes flutuantes. Saudades amada beijos que belos versos para variar

Carlos disse... @ 10 de fevereiro de 2011 21:01

Mai, acredito que dentro em pouco, debaixo desses seixos e brita, apareça uma flor silvestre, para vos dizer que no meio de uma calamidade, existe sempre um sinal da natureza, para a perseverança, esperança e solidariedade que existem dentro do ser humano.
Grande abraço para ti esperando que a bonança seja breve para todos os que sobreviveram a essa desgraça

Mário Lopes disse... @ 11 de fevereiro de 2011 11:54

Não é tempo de levantar os olhos para o céu, onde tudo muda mais depressa. É tempo de levantar do chão o homem e as suas esperanças, onde tudo muda mais devagar. Mesmo que a vida tenha tão pouca segurança, como dizia Camões.

Lindo o teu poema, querida Mai.

"Regressa" para nós. Sentimos imenso a tua falta, o teu silêncio, as palavras que só ouvimos nas tuas mãos.

Beijo terno.

Abraão Vitoriano disse... @ 11 de fevereiro de 2011 13:09

mai,
os futuros flutuam onde permitimos, sei que não é uma palavra confortável para esse instante de caos, mas com você aprendi a revirar meus baús, encontrar uma bonita roupa e ir para o baile...

beijos,
do seu menino
e qualquer coisa estou às ordens!

Jesus te ilumine!

SAUDADES + CARINHO

Mateus Araujo disse... @ 11 de fevereiro de 2011 13:24

Amooooooooooor *______________*

Obrigadoooooooooooo!
<33

Ai fiquei tão feliz *_________*


AAEAUHEUAEUHUAEHUAEHUAEHUAEHUAEHHUAEHUAEHUAEHUAE
teAmull
bjsbjsbjsbjs
<3333

Mateus Araujo disse... @ 11 de fevereiro de 2011 13:30

Ameii a múusica ow D=

Demais, eu adoro essas viagens assim.
E belo poema
Um cenário peculiar sendo q não há lugar para formar-se um futuro
Todos os lugares se fazem perfeitos
Se há humidade a gente arruma uma galocha \o/
EAHEUAEHAHUEA

bjitos <3

Walkyria Rennó Suleiman disse... @ 12 de fevereiro de 2011 13:23

Mai
teu poema me levou pra certos limbos onde às vezes me coloco....

muito bom, como sempre, suas imagens nos abrem leques de possibilidades

AC disse... @ 12 de fevereiro de 2011 18:19

Creio já me ter cruzado consigo nalgumas caixas de comentários, mas nunca se proporcionou uma visita. Foi hoje. Ainda bem, pois encontrei um espaço onde a sensibilidade tem lugar cativo.
Para seguir, claro.

Bj

Carla Diacov disse... @ 15 de fevereiro de 2011 17:26

flutuam...é bom demais esse flutuar-nos, mai!

Márcio Ahimsa disse... @ 18 de fevereiro de 2011 19:10

Mai, onde está vc agora?

Minha abstinência é como agulha que fura. Meus olhos são duas esferas girando pela órbita do instante a procura de palavras, inconstante, me resto, me sobro apenas palavras pobres, sem rima, sem lenço, sem o encanto que enleva o verso e o canto que sempre percebo aqui, inspiro, expiro o pranto, respiro a alma, verto e sou tanto, água e ar, paisagem que se completa nessa sua fonte, um fio teso nesse seu horizonte de poesia.


Cadê você? Beijo.

Carla Diacov disse... @ 25 de fevereiro de 2011 15:10

GALOCHAS NÃO PRESTAM MESMO!
Ô RAÇA!


BEIJO, QUERIDA!

Ilaine disse... @ 27 de fevereiro de 2011 18:35

Oi, Mai! Estou passando para deixar um abraço... enquanto ouço a música em seu blog. Saudades de você! Beijo

:.tossan® disse... @ 28 de fevereiro de 2011 21:19

Como diz aguele nosso amigo " Levanta-te e eleva os sentidos, mesmo que o mundo acabe amanhã. Beijo

Genny Xavier disse... @ 28 de fevereiro de 2011 23:34

Querida Mai,
Saudade dos teus escritos que me fazem lembrar a transparência dos cristais, a sonoridade dos violinos e as sinestesias dos sentidos...
Beijos,
Genny

Mari Amorim disse... @ 8 de março de 2011 17:27

Ser mulher é ser especial,
amiga Mai
Quero abraça-la,e agradecer o carinho e a amizade,neste dia tão especial,seja feliz!
Boas energias,paz,saúde,e luz,
beijos poéticos
Mari

Dauri Batisti disse... @ 8 de março de 2011 18:21

Então Mai, vejo saudades nessa visita que te faço. Por onde andas?
Beijo

Anderson Fabiano disse... @ 10 de março de 2011 14:28

Tão real, tão bem descrito que pareceu uma cena de filme. Belo!

meu carinho,
Anderson Fabiano

Carol Morais disse... @ 10 de março de 2011 22:29

Tao sonoro, tao bonito. Acho que, dos teus esc ritos esse se fez o meu preferido! Gostei. Gostei mesmo!

Leandro Claudir Pedroso disse... @ 12 de março de 2011 01:12

Olá, gostei muito do trabalho em seu blog. É muito legal, pois aborta temas variados. Já estou seguindo seu blog, se desejar conhecer meu blog o endereço é http://www.construindohistoriahoje.blogspot.com

Leandro

lula eurico disse... @ 13 de março de 2011 20:09

Vim te deixar um cheiro, bem pernambucano. rs

E força!!!

lula eurico disse... @ 13 de março de 2011 20:09

Vim te deixar um cheiro, bem pernambucano. rs

E força!!!

nydia bonetti disse... @ 14 de março de 2011 00:10

Mai, cadê você? Estamos todos com saudades. Falo em nome do Palavrório todo. :) Beijo grande, mande notícias, Nydia.

Daniel Hiver disse... @ 21 de março de 2011 16:21

É impossível ficar sem ter que dizer alguma coisa após ler versos tão expressivos como esses.
Meu futuro pisa em lama sem ter galochas; mas ainda assim vou dormir sempre entre cochichos e coaxares e em meus sonhos, há nuvens terracota e quando acordo não há queijo amarelo só a falta de graça de um naco de ricota.
beijo e uma grande semana.
Esse poema é muito bom!!!!

Penélope disse... @ 24 de março de 2011 00:35

Pois ainda bem que os futuros pairam sobre o ar, sendo assim, ficamos com as possibilidades dos sonhos.
Beijinhos, Mai

Walkyria Rennó Suleiman disse... @ 27 de março de 2011 17:48

Pedido
Sei que você era fã da Gerana, do "Leitora Crítica". Eu e a Betina Moares, estamos fazendo uma campanha pra ela retornar. Entre no meu blog e engrosse essa bronca.
Conto com vc.

guru martins disse... @ 29 de março de 2011 12:12

...e quando
teremos
o ar de
tua graça, hem?

bj

maria claudete disse... @ 31 de março de 2011 22:45

Mai querida passando para te desejar uma semana inspiradora e meu carinho. Beijos.
Claudete

:.tossan® disse... @ 2 de abril de 2011 22:34

Cadê vc minha amiga? Aparece pra dizer olá. Bj

Jacinta Dantas disse... @ 3 de abril de 2011 10:46

Oi Mai,
vou passando e deixando meu abraço. Sinto falta de notícias suas. Daqui, continuo torcendo para que a bonança não tarde a chegar.

Abraços

Genny Xavier disse... @ 5 de abril de 2011 00:20

Querida Mai,

Aguardamos seu retorno para que o tempo torne a germinar o presente.
Esperamos que esteja bem...você e todos que continuam firmes de esperança e resistência.
Beijos,
Genny

josé carolina disse... @ 7 de abril de 2011 15:56

Mai, quero saber de como e onde e a que passos você está. E de como vão as coisas pelo caminho.
Um abraço muito abraçado.
Inté!

André disse... @ 12 de abril de 2011 21:16

Kicoisa...

Maria Luisa Adães disse... @ 16 de abril de 2011 08:29

Mai

Quanta saudade , quanta...

Te tenho procurado e só hoje te encontrei num poema de há um ano.

Não te esqueci,
não seria possível esquecer
e gostava de saber de ti.

Ficaste em meu coração,
como uma promessa a cumprir.

Estive tão perto de ti
e tão longe se tornou tudo quanto
imaginei e sonhei.

Como vão as coisas por aí?
Te afastaste do blogs? Me parece que sim!

Estou em Portugal e te tenho procurado,
pois meu pensaqmento fala de ti.

Escreve-me e dá notícias, por favor!
Escreve para os 7degraus ou para
o email que vou deixar :

luisa_maldonado@sapo.pt

Mas não fiques em silêncio!

Beijos para ti e para todos quantos
amas.

Fico mais feliz...te encontrei...

Maria luísa

Marilu disse... @ 21 de abril de 2011 00:39

Querida amiga, Páscoa é amor, ressurreição e renovação, abra seu coração e deixe que o amor faça sua eterna moradia. Tenha uma Feliz e abençoada
Páscoa.
Beijocas de chocolate.

Essência e Palavras disse... @ 25 de abril de 2011 21:28

Gostei muito do seu blog. Estarei sempre aqui!

beejo!

maria claudete disse... @ 26 de abril de 2011 22:33

Que a Páz abunde no teu coração , que tudo seja renovado especialmente tua Fé em Deus! Abraços.

Maria Luisa Adães disse... @ 2 de maio de 2011 06:28

Mai

Te encontrei em Tossan e amei!

Maria luísa

Maria Luisa Adães disse... @ 2 de maio de 2011 06:30

Mai

Vem até mim e lê meu "Testemunho"

e fico de imediato mais perto de ti
e coloca tua nova foto, esquecida de mim...

Maria luísa

ADMIN disse... @ 9 de fevereiro de 2020 04:55

Google Chrome 79
Google Chrome 2020
Google Chrome 2020 APK
Google Chrome 2020 Offline Installers
Google Chrome Portable 2020
Google Chrome 2020 Latest Version
Google Chrome 2020 for Windows 10
Google Chrome 2020 for Windows 8
Google Chrome 2020 for Windows 7
Google Chrome 2020 for Windows 64 bit
Google Chrome 2020 for Windows 32 bit
Google Chrome 2020 free Download

GamesBX1992 disse... @ 16 de março de 2020 07:06


I really enjoyed reading this post, I always appreciate topics like this being discussed to us. Information very nice. I will follow post Thanks for sharinI really enjoyed reading this post, I always appreciate topics like this being discussed to us. Information very nice. I will follow post Thanks for sharing..
Games LOL A-Z | Mopeio2020 | Wormax io Games

Postar um comentário

 

Seguidores

Links Inspirados