Inspirar-Poesia, um segundo sopro

pragmáticos serviçais

Por Sueli Maia (Mai) em 10/13/2009
Prá que serve o que eu sei
se eu não sei prá que serve
o que eu sei?
q
u
e
d
a
r
a palavra
sub A L terna
terna palavra

13 comentários:

Eurico disse... @ 13 de outubro de 2009 20:33

Vc pode até nem saber pra que serve, mas sabe servir. E servir é algo que contém toda a sabedoria até agora produzida pelo ser humano. Tenho plena certeza disso, pq tenho sido contemplado pelo servir do teu saber.

E agradeço de público o bem que me fazes por compatilhares comigo o que sabes. E olhe que não são apenas palavras, são lições de vida.

Abraço fra/terno e comovido, minha querida amiga d'infância.

Caio Fernandes disse... @ 13 de outubro de 2009 20:35

como boas ferramentas ...

mas o que eu sei ?

ate mais Mai !!

tonhOliveira disse... @ 13 de outubro de 2009 21:24


Como saber se não "o" sabemos!
Sabe que EU não sei...

Tu sabes!

Abraços!

Germano Xavier disse... @ 13 de outubro de 2009 22:38

Mai atacando de poema.
Práxis-moderno-fyllos.

Continuemos...

Wania disse... @ 13 de outubro de 2009 23:18

Mai o teu saber é enoooooorme!

Felizardos somos nós, pela partilha!

Bj grande pra ti.

Paulo disse... @ 13 de outubro de 2009 23:52

Olá,

Seu olhar sobre a vida, quando risca sentimentos,que descreves tão bem, me traz o privilégio da
renovação, através do seu conhecimento.

Por vezes palpita-me a saudade das suas palavras!

Carinho por ti!

Macaires disse... @ 14 de outubro de 2009 00:46

Não sei pra que serve o que você sabe e também não sei pra que serve o que sei, só sei que você sabe criar poema concreto muito bem!

Brincadeiras à parte, adorei o texto!
Beijo, Mai!

The Blues Is Alright disse... @ 14 de outubro de 2009 09:30

"Diga que eu não sei de nada, nem posso saber".... e que continue assim.

Lara Amaral disse... @ 14 de outubro de 2009 12:50

Gostei do texto, bom fugir às vezes. Ainda estou pensando aqui em várias coisas. Então, deixo só meu carinho e um beijo =*

Marcelo Mayer disse... @ 14 de outubro de 2009 13:38

obrigado pela visita em meu blog! adorei seus comentários e desde já te seguindo, pq adoro textos "lisérgicos"

muito bom!

Tatiana disse... @ 14 de outubro de 2009 13:39

Em pequenas palavras tanto sentido!

Um beijo carinhoso para você Mai!

Letícia disse... @ 14 de outubro de 2009 16:10

É mesmo, Mai. É o que se diz da cama: Por que vou arrumar a cama se vou dormir e bagunçar tudo de novo?

Bjo.

Mário Lopes disse... @ 14 de outubro de 2009 20:05

Querida Mai,

Podes não saber para que serve o que sabes, mas Eurico agradece as tuas lições de vida, Wania felizarda pelo teu saber enorme, Paulo palpitando-lhe saudades das tuas palavras, Macaires a tua sabedoria do poema concreto, Lara pensando ainda e deixando beijo e carinho, Marcelo adorando os teus textos "lisérgicos", Tatiana sentindo nas tuas pequenas palavras tanto sentido, e no entanto, mesmo que tu não saibas para que serve o que sabes, nós sabemos por ti e só por ti que o teu "Vô era o rei do teu mundo encantado, mesmo que ninguém o visse ou ouvisse, só tu, olhando o seu sorriso nu de quem se despedia silenciosamente com saudades da Vovó e da lembrança de uma vida de ternura em par", nós sabemos por ti e só por ti que "Samuel te viu chegar e falou, apenas com os seus olhos e o silêncio , ausente de sorriso.-Vim te ver...Lembro de ti a cada instante...Não te esqueço...E em nossos horários a cada semana eu lembro de ti lembrando o teu sorriso...Que passa? (E tudo isto ela falou prá dentro, só prá não chorar), nós sabemos por ti e só por ti, que "Bem lá do alto onde avistava miúda, a casa de taipa, mirou o pouso, bateu os braços como asas e trissando qual pássaro, decolou. Quedo, em instantes colidiu ao chão. Com a pele rasgada e as asas quebradas, Jair não foi cão ou pássaro. Jair não foi homem pois não conheceu mulher. Jair era ingénuo. Um Ícaro implume. Jair era humano e sorria, sempre".
Sabemos tudo isto por ti, mesmo que não saibas para que serve o que sabes. E ainda só agora está a começar...

Postar um comentário

 

Seguidores

Links Inspirados