Inspirar-Poesia, um segundo sopro

ad vinhos...

Por Sueli Maia (Mai) em 3/21/2009
Vinhos podem ser tintos, brancos, roses e esses podem ser suaves, doces, secos. E há minúcias e há safras...Vinhos podem brindar a alegria ou a tristeza. Vinhos podem ser bons ou não, mesmo os caros. Vinhos podem deixar um gosto amargo na boca. E a tristeza pode ser tinta e amarga, mas não é déficit. Mas pode ser a apropriação indébita da alegria que se poderia ter. Pode ser o riso adiado na existência e o medo de não se poder viver o bastante. Pode ser a fissura subterrânea no coração de um Homem. Pode ser o arrependimento pelo estrago prematuro, agora velho demais prá sorrir o hoje e o amanhã. Pode ser a lembrança da escalada adiada na preguiça desmentida, no aconcágua da vida. Pode ser a fratura de um amor sacrificado na desconfiança de um só. Pode ser a paralisia covarde que se apega aos lábios, impedindo-os de se aproximarem das orelhas. Pode ser a rigidez plástica de quem não sabe brincar, cantar ou dançar. Pode ser a teimosia que não quebra o disco de ouro da saudade. Pode ser a memória genética da posse e vingança, que congela em nitrogênio, o passado. Pode ser um fantasma sentado na sala à espreita de endorfina e melanina, enquanto eu brinco de viver feliz. Pode ser um curativo com Band Aid ou a contenção de um espartilho. Pode ser o muro que separa a infância, enquanto eu brinco nas árvores do quintal. Pode ser a etiqueta guardada na roupa, enquanto eu ando de jeans. Pode ser a música que deprime enquanto o rádio toca música latina. Pode ser só fantasia, enquanto eu visto a alegria do personagem principal e com ele eu danço a música contagiante dessa vida...Pode ser isso ou nada disso. Os advinhos tentam saber porque tristeza e não alegria? Gosto de vinhos. Não os caros, os bons...
.
Fotografia: Tossan
Música - Santana
...

24 comentários:

Filipe Garcia disse... @ 21 de março de 2009 16:17

Mai, querida,

seu texto é uma viagem. Começa no paladar, a taça nos lábios, o gosto do vinho, depois a alegria provocada pelo álcool, o endoidecer dos neurônios, o mundo bonito lá fora. As coisas giram, então. Os efeitos provocados não são tão legais assim. A bebida esconde a tristeza, por vezes, ou exalta a alegria, tentando celebrá-la. O fato é que o brinde vai além. E os vinhos passam a ser ad_ereços, mero clima pra uma ocasião.

E você, continua poeta, dessas viciantes. Voltei por saudade, porque (segredo) tô em crise bloguística. Não sei mais escrever, Mai, nem ler. Espero ser um sintoma e que passe rápido.

Beijo!

Márcio Ahimsa disse... @ 21 de março de 2009 16:49

Mai, sabe, eu não advinho, ainda bem, pois bebo tão levemente vinho, pois, senão, ébrio, nem sei se ponho os pés no chão, decolo com o vento, e, se já sorrio "lúcido", ah, aí é que fico um risco alargado nos lábios, de canto a conto, sem motivo, rs.

Beijos,querida.

Anônimo disse... @ 21 de março de 2009 17:28

Quem somos nós para adivinhar, apenas arriscamos palavras, sem nada saber.
Amigo. Beijo

Maria Dias disse... @ 21 de março de 2009 17:53

Hummm...Um lugar aconchegante.Uma boa musica.A companhia certa e um bom vinho q não precisa ser caro mas de qualidade(pode ser um Chileno!)Pronto estou no céu!rs...

Bom fim de semana Mai.

Beijos!

Eurico disse... @ 21 de março de 2009 17:55

Escalemos, amiga, os aconcáguas da vida...e depois, ou antes, o vinho da celebração.
Abraçamigo e fraterno.
Grato sempre por tuas visitas carinhosas.

Andre Martin disse... @ 21 de março de 2009 18:17

Obrigado pelo elogio das fotos! Na verdade, a natureza é generosa, a máquina é boa, eu tive sorte de estar no lugar certo na hora certa, e a Senhora neste caso é uma ótima divulgadora!

Sobre o vinho, sabe quais são os que não embriagam e até alimentam? Por exemplo, O VINHO de codorna, de galinha, de pata, etc... LOL
E já que páscoa está chegando, tem O VINHO de chocolate também, mas esses têm que ser sem licor! rsrs

Liene disse... @ 21 de março de 2009 18:53

Mai,
Um belo texto pede um bom vinho. Saúde!
Um abraço.

Fernanda disse... @ 21 de março de 2009 19:10

por que as melhores coisas da vida não são as mais caras mas sim,as que nos trazem alegria,a sensação de um momento unico.

PALAVRAS AO VENTO disse... @ 21 de março de 2009 19:24

Pode ser o pedido para um momento de felicidade!!!
Bjs

tossan disse... @ 21 de março de 2009 19:25

O vinho é uma obra de arte. O bom vinho lógico, maduro tinto. Mas não se deve só escolher, tem que saber o quanto beber. Desde civilizações ancestrais, o vinho sempre despertou grande fascínio no homem. Baco, o deus romano do vinho - o mesmo Dionísio da mitologia grega, era filho da mortal Sêmele com o deus Júpiter, il cappo di tutti i cappi dentre as divindades de Roma. Além de gerir os negócios do vinho, Baco também representava a embriaguez.
Não serve como exemplo e nem o referido do teu texto, que não sei que é, não é feliz. Beijo

Filipe Garcia disse... @ 21 de março de 2009 19:51

Mai, vi seu e-mail, mas não tava no msn!! A gente combina um horário pras prosas, tá?

Beijo

Andre Martin disse... @ 21 de março de 2009 20:18

Ok. O comentário infame sobre O VINHO foi cortesia de ... (humm, deixa eu ver se eu AD_VINHO) ... de famainfame.blogspot.com.br.

Mas voltei aqui para recomendar um blog de um amigo enólogo que escreveu vários artigos sobre vinho, de um jeito muito gostoso de ler e saborear, e abriu um blog para deixar registro. Aproveite e deguste: Vinho e bom senso = http://www.vinhoebomsenso.blogspot.com

paula barros disse... @ 21 de março de 2009 23:11

Achei ótimo o texto falando de vinhos e a palavra advinhos. Só a sua inteligência querida.

Ou foi efeito do vinho? rsrs

Brincadeira. No dia-a-dia, e principalmente nos blogs, inferimos, julgamos, desconfiamos de algo, tentamos montar quebra-cabeças, sempre buscando uma lógica, por vezes ilógica, tudo na base da advinhação, da suposição.
Assim percebo, e acontece comigo.

abraços, ótimo domingo.

Erica Maria disse... @ 21 de março de 2009 23:37

Adoro vinho!

E como vc mesma disse: não precisa ser caro, mas tem que ser bom!

Texto lindo!

Bjo!

Boa semana viu?

Cris Animal disse... @ 22 de março de 2009 02:15

Mai, e nessa liberdade de ser, dançar, beber, desejar...nessa liberdade de escolher "não os caros...os bons" vc vive o melhor de cada escolha e bebe na taça preferida a boca que deseja.
Eu ameiiiiiiiiiiiiiiiii!
beijos
................cris Animal

Osvaldo disse... @ 22 de março de 2009 05:37

Oi, Mai;

E que mais poderá representar o Vinho além de tudo o que foi dito pela Mai?!...

O Vinho é vida e vivante far parte harmoniosa do ser humano e do reino dos Deuses.
Não é por acaso que o precioso líquido extraído das melhores ou das mais simples cêpas, sempre fizeram parte das celebrações nas mesas dos Mitológicos Deuses ou dos humanos Reis...

Este teu tema,certamente deixou embriagado de prazer Baccus e sua côrte no Reino das Vinhas.


bjs, Mai.
Osvaldo

Osvaldo disse... @ 22 de março de 2009 05:49

Mai, só pra dizer que conheço bem o Museu Imperial de Petrópolis, entrei lá a primeira vez, tinha eu quinze anos, voltei mais vezes e posso afirmar que foi nesse Museu que compreendi que Museu não é só passado mas sim o lugar ideal para compreender o futuro...
bjs
Osvaldo

Zezé disse... @ 22 de março de 2009 08:56

"O pão alimenta o corpo e o vinho alimenta a alma".
Fico feliz quando você aparece para um cafezinho.
beijo

tossan disse... @ 22 de março de 2009 10:39

Vc modificou o texto e ficou mais bonito ainda.O astral é fantástico! Agora entendi melhor o que vc quer dizer. Gostei da foto..rsrsrs...Beijo

Lipe M.T disse... @ 22 de março de 2009 11:31

Vinho velho
Uva da videira
Vida saideira

Afonso disse... @ 22 de março de 2009 12:56

Maravilhosa comparação da vida com o vinho. Texto perfeito :D

Beijinho*

Monday disse... @ 22 de março de 2009 15:00

Maizita, tem certeza que é pra sacar a rolha? rssss

mas se você gosta dos bons, vou na taça contigo ...

mateo disse... @ 22 de março de 2009 16:10

... e não pode ser a bebedeira de quem vive a "adourar"?
Beijo.

Menino-Homem disse... @ 22 de março de 2009 18:34

Mai, Mai
entrar em conexão contigo é desprender do rótulo, do prévio, das atuações globais...

você tem o poder de dar luz a uma pobre lamparina (hoje me sinto assim)... como adoro descobrir com você, por você...

e ser nordestina, como me agrada ainda mais...

beijos!

Postar um comentário

 

Seguidores

Links Inspirados