Inspirar-Poesia, um segundo sopro

uma canção ao outono...

Por Sueli Maia (Mai) em 3/16/2009
....................Uma canção está repleta de vazios e a dor não é posse, é opção.Ensurdeço os ouvidos, espanto a tristeza e assumo: canto a hibernação essencial.Nos trópicos os corpos mostrar-se-ão deslembrados das peles, em segredo outonal. Do inóspito vazio a tez não escapa. Quanto mais amo menos o amor me escapa. Apresso-me a transgredir a falta. Na insensatez dessa pressa, a ilicitude e a vontade de viver contente. Ao norte, entre o pacífico e o atlântico, o meu desnorte e minha desordem tântrica. Paixão é bússola que norteia o coração. Deslembrar-me-ei de disfarçar da face o contentamento da paixão. Meus gritos mudos, ainda estarão vivos sem saber-te. Porque o sempre não existe e estar no outono é apenas um modo de acordar...
...

Imagem Google

Miró

22 comentários:

Osvaldo disse... @ 16 de março de 2009 06:57

Oi, Mai;
Desculpa eu não ter passado por cá estes últimos tempos, mas estive ausente em trabalho...
Uma canção ao Outono, por vezes leva-nos à Primavera que tanto floriu nossas vidas. Será isso Saudade?!... talvez mas o importante é saber que também o Outono, com sua folhas que caem contem-em uma beleza de ternura ímpar. Sabendo viver o Outono da vida certamente nos aqueceremos melhor, quando o Inverno chegar.

É sempre um prazer imenso ler tuas belas (e inteligentes) crónicas...
Obrigado, Mai.
bjs
Osvaldo

Eurico disse... @ 16 de março de 2009 08:02

Outono profundo e acolhedor, outono de possível renovação. Mas, em breve, te quero primaveril.
Tinha só um minuto e vim te ver.
Abraço com cheiro pernambucano.

Eurico disse... @ 16 de março de 2009 08:02

Outono profundo e acolhedor, outono de possível renovação. Mas, em breve, te quero primaveril.
Tinha só um minuto e vim te ver.
Abraço com cheiro pernambucano.

Oliver Pickwick disse... @ 16 de março de 2009 09:49

Inspirada amiga, estreia - pelo menos aqui no blog - com versos virtuosos na estação preferida de todos os poetas, bardos e trovadores.
Um beijo!

tossan disse... @ 16 de março de 2009 10:18

Uma canção de outono no fim do verão, talvez seja a insensatez das águas de março contentes e desafinadas na desordem tântalo das paixões que usa a taramela para encerrar o verão. Apenas isto. Beijo

Cecília disse... @ 16 de março de 2009 10:29

Que lindo!
Outono me lembra mudança, renovação.

Tenha uma ótima semana!
Beijão

paula barros disse... @ 16 de março de 2009 10:50

É amiga, fiquei pensando, a paixão é a bussóla que norteia o coração. Pode ser o barco sem prumo. Ou o redemoinho em alto mar.

Por paixão nos achamos e nos perdemos, depende né. Mas nesse caso é tão forte o arrebatamento das ondas que esse se perder chega a perder o controle da opção.

abraços, e boas estações.

Vanessa disse... @ 16 de março de 2009 11:26

Mai, estou aparecendo pouco pq estou sem tempo de visitar os amigos . E seu blog não dá pra vir e dar só uma olhada. Seu blog é pra ler com uma xícara de chá e com bastante vagar.

Abraço

Letícia disse... @ 16 de março de 2009 11:34

É um poema, Mai. Outra fase agora. Escrendo poemas e é o caminho mesmo. Escrever de todas as formas.

Bjs, Mai.

E eu fui sequestrada. Me libertaram ontem. =)

Love u.

Lipe M.T disse... @ 16 de março de 2009 14:02

Finda o tempo
Tempo pra sol
Chega o tempo
De folhas a cair
Tediana estação
Que por si só
Ampla e terrena
Está por vir
Tão presivivel
Que ela é
Não se compara ao amor
Que chega de manso
Feito ladrão
Que sai feito feto
Rasgando com dor.

Liene disse... @ 16 de março de 2009 14:31

Mai,
Fases, momentos, estações...tudo passa. Tudo se transforma. A cada ciclo, um novo começo. Não RE- começar; não RE-iniciar nos mesmos vazios e dores.
Sensatez é uma boa palavra.
Um abraço carinhoso!

Tata disse... @ 16 de março de 2009 16:12

Mai,

Então se deixe levar e adentre esse mar rumo ao norte, rumo ao oceano de sua paixão, seje outono ou verão, atravesse essa costa e seje FELIZ!!!!

Tudo é uma questão de tempo.Sazonalidades....
Porque entre o sim e o não, o tempo é só um sopro, entre o bom e o mau o tempo é apenas um pensamento.

bjinhos

jessicadeverdade disse... @ 16 de março de 2009 17:16

Cada vez me surpreendo mais com o que encontro aqui...
Que frase linda " estar no outono é apenas um meio de acordar".
incrível
té mais

Márcio Ahimsa disse... @ 16 de março de 2009 18:55

Estar no outono é permanecer no preâmbulo do inverno, que por sua vez permanece no prelúdio da primavera, que por sua vez, permanece no proêmio do verão. Estar no verão, é sentir o vento anunciar o aconchego e estabelecer o elo do abraço.

Mai, beijos, te adoro.
Carinho em ti.

Mateus Araujo disse... @ 16 de março de 2009 20:03

vc exite mesmo?
vc é real?
não é possível uma pessoa com esse tamanho de coração

Dauri Batisti disse... @ 16 de março de 2009 21:15

... é um modo de acordar, de dormir, de ir e de voltar, de fazer a roda girar, girar... a vida vai.

Um beijo.

Cris Animal disse... @ 16 de março de 2009 21:30

Que vc desperte lenta e docemente nos braços de qualquer estação, mas nos braços da paz. sentindo todo o amor e proteção que uma nova canção pode cantar à vc!
beijos
...............Cris Animal

Sue disse... @ 17 de março de 2009 09:51

"A paixão é bússola que norteia o coração..."

O problema é que nem todo mundo sabe como se direcionar com uma.

Beijos e adorei o texto Mai.

Sue

Átila Siqueira. disse... @ 17 de março de 2009 13:30

Amiga querida, que texto mais lindo, mesmo com todo o niilismo desse seu outono.

Adorei o texto.

Um grande abraço,
Átila Siqueira.

Multiolhares disse... @ 17 de março de 2009 17:59

Precisamos conhecer bem todas as estações, cada uma vai complementar a outra
com todas aprendemos um pouco de vida
beijos

Conde Vlad Drakuléa disse... @ 18 de março de 2009 15:04

Espetáculo de texto! Único! Beijocas novas do conde para a querida Mai ;)

mateo disse... @ 18 de março de 2009 15:15

Estar no Outono será apenas um modo de acordar para o Inverno que não tarda?
E neste... será o acordar para uma Primavera que tarda?
Beijo.

Postar um comentário

 

Seguidores

Links Inspirados