Inspirar-Poesia, um segundo sopro

submarinos...

Por Sueli Maia (Mai) em 3/01/2009
.São submarinos os Homens. Submergem ao fundo ouvindo em sonar suas dores, memórias e o que as guarneceu. Olhava com medo os Homens submersos, precisava saber enxergar o mais longe possível...
Precisava saber suportar a vida no fundo do mar. Tão inóspita, monótona, temível, na falta de êxito ao usar periscópios ou tentar se fazer corajosa se a saudade apertar... E o seu medo no fundo do mar? São bombas de profundidade, ameaça constante de dores. São submarinos os homens de todas as peles, de todas as cores... Azuis, vermelho, laranja ou negros. Um submarino amarelo emerge, estóico, epidérmico abjura o amor...

Não há passadiços ali onde estava espiando as operações do sonar... Resistia ao medo da morte e ao 'Não' de um perdão das ofensas. Parece um estigma a segui-la na vida inteira em que singra, oceanos dos homens pacíficos ou mesmo os atlânticos... Ao norte, o desnorte do seu soluçar... Mas para varrer o horizonte e avistar da popa, os perigos, prá ver mais além do que vêem a maioria dos Homens... E sempre que alguém precisar, ela sabe que foi necessário subir em ombros gigantes. E mesmo saudosa e sem vê-los, no fundo do mar a eles, agradece, aonde pode chegar. São submarinos os Homens. Mas há tanta beleza no fundo do mar, não dá prá acabar com a música, a poesia e o amor...

...
Submarino azul
http://www.ricardocobra.com.br/
Outras imagens:Google
Música : Pepperland- George Martin -
Trilha - Yellow Submarine

20 comentários:

Multiolhares disse... @ 1 de março de 2009 16:29

Homens perdidos em si
Emergem, submergem ,
sem encontrarem o sentido do vento,
as correntes do mar, procuram o farol o amor verdadeiro em si, mas a luz do egoísmo é mais forte e o porto seguro, mesmo para um submarino fica difícil de encontrar
beijikas

PALAVRAS AO VENTO disse... @ 1 de março de 2009 17:30

Acho que eu ainda estou no mar, um submarino gigante...
bjs

A Senhora disse... @ 1 de março de 2009 17:37

Na verdade, são nas nossas profundezas que vamos achar as nssas maiores forças e valores para enfrentar grandes tempestades. E, como toda tempestade... ela passa...

beijinhos, querida.

meus instantes e momentos disse... @ 1 de março de 2009 18:11

....ao norte o desnorte de seu soluçar.
Parabens belissimo post.
maurizio

Cecília disse... @ 1 de março de 2009 18:19

Lindo, muito lindo!!!
Quendo vi as imagens não imaginei o conteúdo!!!
Parabéns, belo post!!!!

Beijosss

FERNANDA & POEMAS disse... @ 1 de março de 2009 18:24

QUERIDA MAI, PARABÉNS POR TÃO BELO TEXTO AMIGA!!!
SINPLESMENTE SUBLIME... UM GRANDE ABRAÇO DE CARINHO,
FERNANDINHA

Café da Madrugada® Lipp & Van. disse... @ 1 de março de 2009 18:30

Por um olhar realista, me fez lembrar os homens-submarinos, que saem dos seus lares, deixa mulheres e filhos cheios de saudade, mas mesmo assim vão... por necessidade.... afundar-se nas àguas do mar... buscar sustento, mas sustento que pode até matar.

Jana disse... @ 1 de março de 2009 20:10

se eu fosse um peixinho e soubesse nadar...

beijos

Nuno de Sousa disse... @ 1 de março de 2009 20:31

Adoro o mar e tudo ao que lhe ligue, está maravilhoso este teu post, bela como sempre a tua escrita e as cores que aqui nos mostras... sem palavras para ver tanta beleza.
Bjs enormes e uma boa noite em ti,
Nuno

Mateus Araujo disse... @ 1 de março de 2009 20:51

Muitos não conseguem submergir a este mundo das puras águas...
Este, que, de tão lindo, acaba por mais deslumbrar as pessoas do que fazê-las tentar imergir...
é preciso tomar cuidado ao descer tão profundamente a ponto de não poder voltar mais,porém se tiver medo, jamais sentirá a beleza que há no fundo deste imenso e formoso oceano!
E os que conseguem escrevem como vc...
o texto está ótimo,e sobre as críticas... difícil encontrar uma.

Ah eu adorei essa idéia de submarino skaoskaos *_*

Byers disse... @ 1 de março de 2009 21:11

Ola tudo bem ? Mai.

Estou passando no seu blog, por indicação do Ziggy, do pesardealma.

Estou em um projeto, que mistura ilustração e poesias, textos em geral, gostaria muito de te convidar a escrever algo para o projeto.

Meu intuito é divulgar os textos e os blogs dos participantes, juntamente com o meu trabalho de ilustrador.


Se tiver curiosidade sobre o Projeto, é so procurar por "Sunshine" no:

www.rubensmedeyros.blogspot.com


:)

Tata disse... @ 1 de março de 2009 22:31

Oi Mai,

Continuo submersa!!!!!E encantada com a beleza do mar, de seus habitantes e dos lindos submarinos amarelos!!!!

bjinhos

tossan disse... @ 2 de março de 2009 00:41

Parece eu...Me procurando há uns 10anos, perdido, massacrado pelos pseudos aliados, só...Justamente o que me salvou foi submegir de forma de não morrer. Foi uma forma de sobreviver descobrindo a beleza encoberta pelas algas marinhas.
O teu modo de escrever me fascina! Mas parece que eu te leio diferente dos outros que aqui comentam. Estarei errado? Beijo

paula barros disse... @ 2 de março de 2009 09:19

Mai

Gostei muito das imagens.

Me fez pensar que existe alguns tipos de seres humanos submarinos. Os que submergem ao fundo do mar, para verem belezas e monstros e puderem emergirem vendo mais belezas em si e no mundo.

Outros submergem ao fundo do mar, e se afogam nas dores, passando um bom tempo submersos, sem explorarem as diversas belezas e sem enfrentarem a dores.

abraços carinhosos...e vamos submergindo e emergindo.

Osvaldo disse... @ 2 de março de 2009 12:39

Oi, Mai;
Acredita, é dificil acontecer, mas é verdade, hoje li e reli e não sei o que responder porque o Submarino Amarelo é "só" o Album mais marcante da minha adolescência e não pude separar o mais belo Álbum de uma das mais belas e coloridas crónicas que nos ofereceste, porque no fundo, por mais que nós queiramos cortar o "cordão umbilical" dos bancos da Faculdade, e já lá vão muitos anos, mais nos prendemos a esses anos e ao amores vividos.
Como diz Roberto numa das suas canções, "o que foi felicidade, mata agora de saudade"...
bjs
Osvaldo

Lipe M.T disse... @ 2 de março de 2009 14:11

E eu não quero os submarinos, menos ainda ser um deles, quero nadar pelado, com oculos e só, poder ver através da água, e por alguns momentos ter o prazer de sentir o sal bater nos olhos e turvar o que antes, nunca havia visto, poder ter o prazer de me cortar em corais da vida, que, não passam de belas figuras que te atraem para te prejudicar...

Quero lutar com tubarões...agarrar nas nadadeiras de uns golfinho...cutucar alguns polvos só pra ver eles soltarem aquela negra polpa e sair nadando, percorres mundos, mudo, e mares, surdo...

E depois...voltar pra casa e tomar um mate gelado com bastante açucar.


Abraços anjo...

Lipe.

Valci Pessoa disse... @ 2 de março de 2009 15:04

Eu não sou um submarino, sou uma tartaruga **'

Átila Siqueira. disse... @ 2 de março de 2009 15:19

Muito interessante a analogia entre os submarinos e a profundidade que o ser humano pode atingir. Adorei.

Um grande abraço,
Átila Siqueira.

Márcio Ahimsa disse... @ 2 de março de 2009 15:30

Ah, minha querida, quanta profundidade na profundeza dessas palavras tuas. Assim, nuas como luas cheias, elas, na tenacidade de sua clareza, um tom amarelado de noite limpa, colorindo o que de mais colorido há no mar imenso da vida.

Beijos sempre.

mateo disse... @ 4 de março de 2009 09:51

Não gosto mesmo nada destes homens-submarinos!
Não são homens nem submarinos!
Livra-te deles...
Bjs

Postar um comentário

 

Seguidores

Links Inspirados